sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Pare de falar para meninas que elas são lindas


Anteontem escutei duas meninas no ônibus conversando sobre coisas importantes da vida:

- Que cor você acha que pinto as unhas essa semana?
- De transparente?
- Como assim? Não conheço essa nova cor.
- É essa... – e a menina mostra suas unhas sem esmalte.

Ontem vi na internet pessoas conversando sobre o corpo de uma menina de 12 anos que está participando num programa para mostrar suas habilidades culinárias e não sua aparência física... Mas logo, suas habilidades na cozinha se tornam irrelevantes e seu corpo, o palco para as pessoas a avaliarem... Peço desculpas para a Valentina e sua família... Não sei nem o que dizer sobre isso... Espero que meu filho nunca fale assim de uma menina... 




Eu fiz esse texto antes de ver os comentários sobre a Valentina... Mas o texto tem muito a ver com as consequências para meninas e meninos de se preocuparem tanto com a beleza... Então vamos lá... 

Frequentemente o assunto entre mulheres e meninas é “beleza” - e entre homens, a avaliação da beleza e corpo das mulheres - produtos para usar nos cabelos, cores de esmalte, cremes anti-aging, calça jeans que levanta a bunda, etc.


Uma (duas, três, quatro...) vez em terapia, uma mãe me procurou porque sua filha adolescente ( ou ainda criança?) passava muito tempo no celular e ela não sabia mais como lidar com isso. Sua principal atividade no celular era fazer fotos sensuais e postar na internet. Ser premiada com vários “likes”. A menina passava muito tempo fazendo várias fotos, várias poses eram testadas até aquela em que os peitos pareciam maiores, a bunda mais arrebitada e o biquinho mais sexy fosse postada... Aí era só esperar ansiosamente os 1000 likes... E o “procedimento” começava de novo no dia seguinte.


A mãe achava que a menina perdia um tempo precioso em que ela poderia estar aprendendo uma língua, fazendo um esporte (um de corpo e alma, não só de tornear o bumbum), lendo um bom livro, passando tempo com a família ou com amigos, que não os virtuais... A mãe estava até torcendo para a menina virar fã de videogame!


Ah os selfies... Seriam eles uma manifestação da obsessão da sociedade com aparência? Estariam os amigos dos adolescentes produtores de sexy-selfies interessados em ver seus amigos deitados na cama, na frente de vários espelhos, de variados banheiros? Estariam seus amigos interessados em saber quantas horas você passa na frente do espelho sacralizando sua aparência? Narcisismo excessivo, concluíram muitos estudos, pode ter efeitos adversos sobre o casamento e as relações, maternagem (e paternagem), e local de trabalho. Outros pesquisadores encontraram uma ligação entre o narcisismo excessivo e violência.


"Cientistas anunciaram uma nova unidade para medir com precisão o narcisismo:
o selfie por hora"

Vários outros estudos já mostraram que o aumento da frequência de compartilhamento de autoimagens está relacionada a uma diminuição da intimidade com os outros. Colocar tanta ênfase em seus próprios looks pode fazer os outros a sua volta se focarem em suas próprias aparências também e não se sentirem confortáveis com elas, fazendo com que não se sintam confortáveis com você... A pressão pela foto perfeita pode também criar competição entre os amigos. 




O problema com os selfies-sexies dos adolescentes é que eles podem ser muito poderosos - mostrarem o quão gata você é, mas também podem contribuir para mostrar que para você o que mais importa é como você e seus amigos aparentam... E isso tem prazo limitado...

Desde pequena somos treinadas a observar nossa própria aparência de uma maneira meticulosa. E isso é muito distinto entre meninos e meninas. Meninos podem se sujar, usar roupas “de brincar”, são treinados a explorar o mundo... Mas mães de meninas, muitas vezes podem se deparar com perguntas do tipo “devo ou não colocar brincos nela?”, “devo usar vestido, saia, se sei que de calça vai ser mais fácil para brincar”, “que corte de cabelo para minha filha?” e assim vai... Se o cabelo do menino não cresce “ai que bom, não precisa pagar cabeleireiro”.... Se o da menina não cresce “tadinha, é menina e ainda sem cabelos”. Porque o cabelo é o poder da mulher... É isso? Por que não sua sabedoria?

Vocês viram a história da menina que preferia o corte de cabelo do pai que da mãe?



A família da menina recebeu vários comentários ofensivos... Programas de show discutiram o caso! Enquanto os meninos, estão aí, raspando seus cabelos todos os dias e ninguém liga...

A obrigação de uma menina para se tornar bela está tão profundamente enraizada na nossa cultura que não importa o quão pequeno ou temporário um gesto como dessa menina é, que logo é considerado de importância internacional.

Tracey Spicer é uma jornalista na Austrália que está extremamente cansada dessa rotina das meninas e mulheres... Ela tem um vídeo no TED excelente em que diz que cansou da rotina de cremes, produtos de cabelo, maquiagem, esportes que não gosta mas faz, só para manter a barriga “negativa”, pintar as unhas... No vídeo, ela chega a tirar sua maquiagem, descer do salto, e usar uma roupa mais confortável.

Tracey antes e depois :)  - ver reportagem 

Mulheres que não usam maquiagem, que tem cabelo grisalho e não os pintam, que não fazem as unhas, podem muitas vezes serem consideradas relaxadas, sujas ou qualquer outro xingamento do gênero.

Tracey mostrou que as mulheres chegam a gastar três vezes a mais de tempo com qualquer coisa relacionada a aparência que os homens... Elas gastam 3276 horas de suas vidas com os cuidados para se tornarem belas... Tempo de um mestrado, um MBA, uma língua nova que elas podiam ter aprendido. 

Gráfico do vídeo de Tracey


A pesquisadora Renee Engeln nomeia esse fenômeno de “beauty sickness” (doença da beleza). Polícia do diagnóstico! Calma! Ela não quer incluir isso no DSM, é só uma maneira mais geral de falar sobre um fenômeno...

Vou então aqui registrar/ transcrever os aspectos mais importantes que ela menciona em seu vídeo para o TED...

Bom, o beauty sickness afeta muito mais as mulheres. Elas estão muito mais suscetíveis a ter anorexia, bulimia, receberem comentários sobre sua aparência física do que os homens. De 1.5 milhões de cirurgias plásticas feitas nos EUA ano passado, 1,3 milhões foram feitas em mulheres.

Gráfico do vídeo de Engeln


As mulheres consumem tanto tempo e energia pensando sobre seus corpos e aparência que até dicas de como se sair bem numa foto sem parecer gorda é assunto de rodinha...



Por que as mulheres e meninas gastam tanto tempo pensando e fazendo isso? Não é uma questão de serem superficiais ou terem “personalidade fraca” como ouvi muitas vezes em terapia... As meninas estão inseridas numa cultura em que as bombardeiam dessas três informações constantemente:

1ª – Ser bonita é a coisa mais importante e poderosa que uma garota pode ser.
2ª – Você devia ser assim:



E a 3ª – “Você não é assim”

Muitas mulheres, apresentadas com essa figura, muito rapidamente começam a se sentir deprimidas, tem auto-estima reduzida, assim como a satisfação com o próprio corpo.

As meninas estão expostas a tais imagens todos os dias! E esse tipo de corpo – de uma modelo – é raro entre humanos. E muitas vezes irreal (photoshop)... Enquanto o mundo sofre com um grande número de pessoas se tornando obesas, a imagem da beleza se torna cada vez mais magra. Tantas imagens assim nos dá a impressão de que esse tipo de corpo é o típico, quando na verdade é a exceção. Essas imagens nos fazem perder a noção da realidade.

Estar “doente de beleza” é quando as meninas/mulheres passam tempo precioso cuidando deu suas aparências em vez de estar cuidando de sua educação, relações familiares, amorosas, o estado da economia, do ambiente, do mundo! Porque elas estão muito ocupadas com o torneado de seus bumbuns.




Como chegamos a esse ponto?

Se desde pequena é exigido de você olhar para seu próprio corpo, mesmo que indiretamente... Quantas vezes não lemos notícias sobre mulheres que não atingiram o padrão de beleza sendo ridicularizadas?



Em um certo momento você vai "internalizar" esses comportamentos e parar de “olhar” para o exterior, parar de se comportar com e para o mundo... 

Brinquedos de construção como esse:



Em que tipicamente ensina a construir coisas, foram feitos para meninos...

Para as meninas fazem brinquedos como esse: 


Para aprenderem a se maquiarem... 

Meu cabelo está sem frizz? Minha sobrancelha está feita? Minha testa está oleosa? Essa blusa me faz mais gorda? Tudo isso foi ensinado para as meninas refletirem sobre! Se as mulheres a sua volta estão preocupadas com isso... Se todos estão julgando seus corpos... É melhor você menina fazer o mesmo! A mensagem é essa, infelizmente.

Nós não conseguimos fazer várias tarefas ao mesmo tempo, apesar de parecer que sim conseguimos, logo se uma menina está constantemente preocupada com sua aparência e se expondo para o mundo via fotos para confirmar se é bonita, gostosa ou não, ela não vai conseguir se engajar com o mundo! Porque entre ela e o mundo existe um espelho... E esse espelho a segue em todos seus ambientes.

Mas se as mulheres conseguem tantas coisas com sua beleza... Como as modelos e atrizes belas que ficam ricas, homens que pagam caríssimo por prostitutas de luxo, etc... Isso não é poder? Não deveríamos então abraçar essa ideia?

Mas que tipo de poder acaba quando você tem 35 anos? Ou menos?

Não há nada de errado com a beleza. Nossos cérebros são muito sensíveis à beleza... Nós não conseguimos desligar completamente de nossos cérebros a vontade de sermos bonitos e de desejar o que é belo.

Querer ser bonita não é um problema... O problema é quando as nossas meninas  querem ser bonitas. Nada mais.

Como podemos mudar isso então?

Primeiro, investindo menos em beleza e mais em coisas que duram – pare de assistir programas ou ler revistas que fazem você prestar mais atenção ainda na sua aparência e que te fazem sentir mal, como esses:



Pense no seu corpo como uma ferramenta para explorar o mundo e não como um objeto a ser leiloado por likes na internet...



Pare de pensar no tamanho das suas coxas, mas na força delas...

Limite seu tempo na frente do espelho...

Pare de falar para meninas que elas são bonitas (por favor, não diga que elas são feias!). Diga que elas são generosas, espertas, queridas, curiosas, corajosas... Assim você lentamente as para de ensinar que o melhor status social que elas vão ter em suas vidas é a beleza.

Nós nunca vamos viver num mundo em que beleza não importa. Mas podemos viver num mundo em que beleza importa menos e essas características


Interessada         Carinhosa         Simpática      Generosa     Bondosa     Sensível     Trabalhadora     Calma       Inteligente        Paciente      Esperta      Otimista     Tolerante       Alegre       Informada    Corajosa      Educada      Determinada        Sociável     Solidária          Independente           Confiável             Organizada  

Importam mais...


Aqui vão também algumas frases para vocês pararem de falar para meninas (tiradas do site):

1. “Senta que nem mocinha”.

2. “Isso não é jeito de uma mocinha se comportar”.

3. “Mas seu irmão pode (jogar futebol/ brincar mais tempo na rua/ não ajudar nas tarefas domésticas) porque ele é homem!”

4. “Isso é brincadeira de menino”.

5. “Que linda, já pode casar”.

6. “Desse jeito vai ficar para titia, hein”.

7. “Com essas pernas cheias de roxos e ralados, parece um menino!”

8. “Menina não fala palavrão”.

9. “O que os outros vão pensar se virem você (descalça/ subindo em árvore/ brincando de carrinho/ usando boné)?”

10. “Azul não é cor de menina”.



Veja também: garota de 11 anos questiona sexy-selfies de amigas. O texto está em inglês, sorry.

ps: Obrigada Tracey Spice e Renee Engeln  pelas reflexões...


Cíntia

7 comentários:

  1. Aprovado. Algumas pessoas podem até discordar do conteúdo, porém ganharam a oportunidade de lembrar que existem muitas outras qualidades nas jovens além da tão valorizada beleza física feminina.

    ResponderExcluir
  2. Olá. Boa noite. Encontrei o seu blog através do site http://nomadesdigitais.com/11-motivos-para-voce-se-mudar-para-luxemburgo/# e gostaria de esclarecer algumas coisas sobre Luxemburgo. Atualmente estou em Portugal e gostaria de ir para ai. Posso enviar email para onde? Como é uma questao particular, nao queria deixar exposto. Obrigada

    ResponderExcluir
  3. Muito legal Ci! Perfeito! Queria que todo mundo lesse esse texto.. decorasse se possível.

    ResponderExcluir
  4. Muito legal Ci! Perfeito! Queria que todo mundo lesse esse texto.. decorasse se possível.

    ResponderExcluir
  5. Olá Carol! Meu email é cintiaertel@gmail.com.
    Obrigada Camila!!! :)

    ResponderExcluir
  6. Olá Vitoria! Pois é, faz tempo q não posto né?? Desculpe, ando bastante atarefada e também algo aconteceu com minha criatividade. Ando pouco criativa. Espero que isso se ajeite :)

    ResponderExcluir